7 Cuidados com Filhotes de cachorro

Filhotes curam qualquer depressão, mas também exige atenção e tempo! Este post é dedicado aos donos de filhotes: guia prático com principais cuidados com filhotes de cachorro!

  1. Comece pelo começo: defina os locais e rotina!

Estabeleça onde ele vai dormir e passar boa parte do tempo; e onde ele deve se acostumar a fazer as suas necessidades fisiológicas, e também onde ele não deve ficar.

É muito importante que o local onde ele vai dormir e onde ele vai fazer as necessidades sejam bem separados: longe um do outro! Para entender o porquê leia sobre coprofagia aqui: http://vocemaisseguro.com/coprofagia/.

Defina também a rotina do pet: se ele você vai passear com ele todos os dias e qual será o horário do passeio, os horários da comida.

  1. Educando: Recrimine ou incentive na hora da ação!

É muito importante estabelecer limites para seu filhote desde pequeno. Sabemos que chega a doer dar uma bela bronca nele. Mas é importante você estabelecer o que é certo, incentivando-o, e o que é errado, recriminando-o.

Mas atenção: a recriminação e o incentivo devem ser na hora do ato!

Cachorros respondem a instintos. Todo e qualquer ato que você não quer que ele faça, deve ser recriminado na hora, ou próximo ao momento que ele esteja fazendo! Se a recriminação for muito tempo depois do ato, ele provavelmente não vai entender o porquê da bronca.

  1. Vacinas e cuidados veterinários básicos.

Acredito que esse seja o principal cuidados com filhotes de cachorro: o ciclo de vacinação! Pergunte quais vacinas seu filhote já tomou, e quando tomou, e quais ainda faltam! Temos aqui um post sobre vacinas para cachorro com todas as informações sobre os ciclos de vacinação: post http://vocemaisseguro.com/vacina-para-cachorro-tudo-que-voce-precisa-saber/.

É necessário vermifugar também! A vermifugação pode ser a cada 6 meses. Vai depender da rotina e das características do seu cachorro. Consultas periódicas são necessárias para este tipo de controle e para garantir a saúde do pet.

Atenção: Cachorros e gatos tem metabolismos (muito mais rápidos) e sistemas imunológicos diferentes do nosso, por isso: é necessário a renovação da vacina anualmente, e consultas de check-up periódicas também! O que nos leva ao próximo item: plano de saúde para Pets!

  1. Plano de Saúde para pets – cuidados para filhotes de cachorro!

Por que fazer um plano? Para começar: pelo menos para cobrir os cuidados básicos de vacinas e consultas e exames já vale a pena: sim, é necessário renovar anualmente, não é exagero, essas doenças são mortais (ler o post sobre cinomose: http://vocemaisseguro.com/cinomose/ e parvovirose: http://vocemaisseguro.com/parvovirose-canina/ ).

A vermifugação do cachorro é essencial também, e a frequência será determinada pelo veterinário, por isso: check-up periódico é necessário!

Pequenas Emergências

Filhotes estão na fase de experimentar – tudo e qualquer coisa: portanto, pequenas emergências são comuns!

Seja uma simples diarreia ou vomito, ou até mesmo quando aparece um carrapato ou pulga ou otite (super comum): tudo isso pode ser caro! Não existem emergências públicas para pets, vai ser tudo no particular. E ninguém fica fazendo pesquisa de preço na hora da emergência! Então, acaba saindo caro e sem planejamento! Por isso, eu recomendo!

Além disso, o plano de saúde tem como objetivo preventivo, e gerar um aumento de qualidade de vida e longevidade. É uma escolha bem segura e de amor mesmo!

Mas tem outras utilidades do Plano de Saúde da Porto:

Quer saber qual a melhor ração, ou qual a quantidade ideal de ração? O Pet Nutri te orienta! E quando eu troco a ração de filhote para adulto? Tudo isso, pode ser orientado através do Pet Nutri, que ajuda a montar uma dieta ideal para o filhote, junto com o tutor!

Uma situação super comum com filhotes é, por exemplo, seu filhote do nada está estranho, cabisbaixo; você não sabe o que pode ser, e não vale a pena ir ao veterinário só porque está na dúvida, mas aquilo te deixa inseguro: será que pode ser algo e eu não sei? Ou quando ele come alguma coisa estranha, e você está com medo de fazer muito mal, mas não tem certeza: o que fazer? Os planos da Porto tem o serviço de Pet Phone: você tem médicos-veterinários 24 horas por telefone para qualquer dúvidas! Ou seja, sabe aquela insegurança? Você não precisa mais ter: com veterinários 24 horas te orientando!

Outros dicas práticas de cuidados com filhotes de cachorro:

  1. Passeio – quando posso levar meu filhote para passear? 

Passeio apenas após o término do ciclo de vacinas do filhote, antes disso, ele não está imunizado, e existem várias doenças fatais, normalmente, a última vacina é contra a raiva!

Alguns veterinários recomendam que o primeiro passeio seja realizado cerca de 15 dias após todas as vacinas e vermifugação!

  1. Banho e tosa na Pet Shop

Segue a mesma regra do passeio: apenas após ter finalizado o ciclo de vacinas e ter tomado a vacina contra raiva. Só depois disso, que você pode levar ele para o banho! E a tosa? A mesma regra do banho e do passeio!

  1. Alimentação: cuidados com filhotes de cachorro

Primeira coisa: pergunte qual ração que seu filhote estava comendo antes de ir para sua casa. Esse é o ponto de partida: compre a mesma ração! Quer mudar a ração? Tudo bem, compre a nova e a que ele estava comendo também!

A troca de ração nunca deve ser feita de uma vez só: dá diarreia! Mesmo que você queira dar uma outra ração para seu filhote, você deve primeiro continuar dando a que ele está acostumado, a troca deve ser gradual: primeiro coloca mais da ração que ele está acostumado e menos da nova, vê como ele reage. Reagindo bem, vai aumentando a proporção da nova, e reduzindo da velha, até ele ter se acostumado totalmente!

Temos dois posts sobre alimentação caso se interesse: http://vocemaisseguro.com/alimentacao_natural_canina_e_ideal/ e http://vocemaisseguro.com/alimentacao-canina-racao-comercial/.

E qual a ração ideal? Apenas uma análise mais profunda do seu pet (raça, porte) e características da rotina dele podem ajudar. E mais uma vez, aconselho: se ele tiver o plano de saúde para pet da Porto Seguro, você pode usar o serviço de Pet Nutri, disponível para todos os planos!

Uma última dúvida comum: E quando que eu sei que meu filhote deixou de ser filhote e agora é um adulto?

Isso vai depender do porte! De maneira prática fizemos esta imagem que pode servir como referência:

Como viajar de avião com cachorro ou gato? – saiba as regras

Está pensando em viajar de avião com cachorro mas não sabe como? Existem algumas regras e documentações necessárias para isso! Neste post, eu fiz uma pequena pesquisa sobre este assunto, e levei em consideração viajar de avião com cachorro pelas companhias GOL e LATAM. Para maiores detalhes, recomendo que olhe a fonte desta pesquisa no final deste post, que direciona para os sites dessas suas companhias. Mas vale a pena dar uma lida aqui, para saber o passo-a-passo e em termos práticos também!

Para quem não sabe nada sobre o assunto: em geral, é permitido viajar com seu cachorro ou gato na cabine ou no compartimento de cargas. Existem regras, óbvio! Tanto a GOL quanto a LATAM, estabelecem que cães ou gatos com até 7kgs (ou 10kgs) podem viajar na cabine; até 30kgs seria apenas no compartimento de carga.

 

Caixa de Transporte para cabine

Existe um padrão de caixa de transporte a ser seguido em ambas as companhias, e pesos máximos (que seria a soma entre a caixa de transporte e o peso do cachorro não podendo ultrapassar 7 kg na LATAM ou 10 kg na GOL).

As características da caixa e dimensões estão no site tanto da LATAM quanto da GOL – são do tipo kennel. O cachorro ou gato deve ser capaz de se movimentar dentro da caixa, que também deve ser resistente e ventilada.

Não se esquecendo que podem ser horas dentro de um avião, o cachorro (ou gato) tem que ser água, e comida, e o material do chão deve ser absorvente, por causa da urina e fezes do animal!

Vamos ter bom-senso!

É muito importante que o dono tenha consciência de duas coisas: a primeira, que ele vive em sociedade, e que devemos respeitar o próximo, portanto: caixa limpa, cachorro ou gato limpos, todos sem odor desagradável, e também o material de revestimento interno deve ser absorvente; Segunda: tenha cuidado com seu pet, a caixa deve ser confortável para ele, e ele deve estar familiarizado com ela!

DICA: Se ele nunca viajou na caixa, deixe-a próxima ao animal por algumas semanas, para que ele vá se acostumando com ela; e se sinta à vontade até a data da viagem!

 

Documentação e Recomendações para viajar de avião com cachorro ou gato

Em geral, a documentação necessária para ambas as companhias são as mesmas. Na verdade, a variação na documentação seria mais de acordo com as exigências do local de destino.

O dono deverá ir ao veterinário de costume, solicitar um atestado de saúde, comprovantes de vacinação (incluindo antirrábica), e carteira de vacinação – faça uma cópia de cada documento pelo menos, e leve para a viagem tanto as cópias quanto a original. No caso, o atestado não pode ser emitido mais do que 10 dias antes do voo, caso o animal vá na cabine do avião.

No caso de voos internacionais, o local de destino que determina o que é necessário, em geral: além dos documentos já exigidos no voo doméstico, solicita-se: certificado veterinário internacional, certificado de vacinas contra vermes e parasitas e microchip.

Recomendações para quem deseja viajar de avião com seu cachorro ou gato

É essencial ir ao veterinário! Consulte sobre a viagem, informe para ele o tempo de voo, e veja com ele quais medidas podem ser tomadas para acalmar seu cachorro ou gato durante o voo.

Confirme se todas as vacinas estão em dia, e verifique todas as exigências de documentação do país de destino. Cheque com o veterinário como anda a saúde do seu pet, e verifique se ele vê alguma restrição quanto a viagem. Ao solicitar os atestados, não façam com muita antecedência – se for viajar na cabine a emissão não pode passar 10 dias!

DICA: Muitos países exigem o microchip no cachorro ou gato para entrar no seu país, você sabia? É uma forma de identificação! Saiba que TODOS os pets que tem plano de saúde da porto seguro devem ter este tipo de controle! Além de que o controle e acompanhamento veterinário que é necessário já é feito, e é assegurado pelo Porto Seguro: todo o histórico médico-veterinário do cachorro fica registrado no Digi Pet! Muito mais controle e muito mais praticidade para estas horas!

Chegou o dia: no dia da viagem

Em voos domésticos, eles pedem pelo menos 3 horas de antecedência para o check-in. Enquanto em voos internacionais, seriam de pelo menos 4 horas.

Algumas informações importantes nos sites da LATAM e da GOL eram:

A Latam informa no seu site que no período entre 15 de dezembro e 15 de março de cada ano, o transporte de animais fica restrito ao compartimento de cargas em todas as rotas para Nova York e Washington.

 

Atenção: ANIMAIS DE FOCINHO CURTO

A GOL informa que não transporta no compartimento de cargas cães e gatos de focinho curto, por conta de suas características respiratórias. São eles:

  • Cães: boston terrier, boxer, buldogue americano, buldogue francês, buldogue inglês, bully americano, cavalier king charles spaniel, chow chow, dogue de bordeaux, griffon de bruxelas, lhasa apso, pug, pug chinês, pug holandês, pequinês, shih tzu etc.
  • Gatos: burmês, exótico, himalaio, persa e

A LATAM informa ainda no seu site que a partir de 1º de outubro de 2017, as raças american bully e raças persas de todos os tipos (felinos) não serão aceitas para transporte do bagageiro, devido as condições de animais perigosos e braquicéfalos.

E por fim, existem alguns países que não permitem a entrada de animais! Verifique junto a companhia aérea escolhida esses detalhes! E boa viagem!

 

 

Fontes: https://www.latam.com/pt_br/informacao-para-sua-viagem/como-viajar-com-cachorro-e-gato/

https://www.latam.com/content/dam/LATAM/latam-marca-unica/PDF/dicas_animal_de_estimacao_no_compartimento_de_cargas.pdf

https://www.latam.com/content/dam/LATAM/latam-marca-unica/PDF/dicas_animal_de_estimacao_na_cabine.pdf

https://www.voegol.com.br/pt/informacoes/viaje-sem-duvidas/transporte-de-animais-de-estimacao

Reveillon e os Pets: Como protegê-lo dos fogos de artifícios ?

Com as festas de fim de ano e maior evidências de fogos de artifícios, a Você Mais Seguro selecionou essas dicas para melhor conforto e bem estar para você e o seu pet.

Aproveitamos e desejamos um 2018 de prosperidade, saúde e muito amor.

Segue as dicas dos cuidados com os pets com os fogos de artifícios:

  • Fique atento para não deixar portas e janelas abertas, assim evitando a fuga e risco de acidentes;
  • Prepare o local onde o seu Pet irá ficar: deve ser seguro e fresco para amenizar o estresse pelo barulho;
  • Identifique seu pet com placas com nome do Pet, nome do dono e contato atualizado do dono;
  • Evite dar muita comida, dê preferência a ração e as quantidades usuais: estresse e muita comida pode levar a torção gástrica;
  • Evite deixar várias cachorros juntos: o estresse pode fazer eles brigarem e até deixa-los mais estressados;
  • Não os deixe acorrentados: eles podem se sufocar!
  • Se o seu Pet se esconder embaixo da cama ou se isolar, não tente tira-lo a força. Dê o tempo ao necessário para se acalmar;
  • Consulte seu veterinário, apenas ele poderá orientar de maneira mais assertiva algumas medidas: desde algodões no ouvido ou até medicamentos para acalmar!
  • Se o seu pet tem seguro da Porto (Heath for Pet), pode tirar dúvidas sobre

Segue a matéria do Fantástico em  sobre fogos de artifícios 17/12/2017 http://g1.globo.com/fantastico/videos/t/edicoes/v/saiba-como-proteger-seu-cachorro-do-barulho-dos-fogos-de-artificio/6363252/

 

Vacina para cachorro : tudo que você precisa saber!

Você é dono de primeira viagem, ou está pensando em adotar/comprar, e quer saber se precisa dar vacina para cachorro? Vou te dar todas as informações necessárias e o passo-a-passo de todo processo de vacinação para cachorro – seja ele filhote ou já adulto!

Vacina para cachorro: primeira coisa: histórico do cachorro!

A primeira coisa que você deve saber e perguntar para o tutor atual do seu futuro cachorro é: se ele já foi vacinado e quais vacinas ele tomou. Se ele ainda não tomou nenhuma vacina, você terá que leva-lo imediatamente ao veterinário para fazer a vacinação.

Tenha em mente!

As vacinas que todo cachorro devem tomar são as vacinas múltiplas (V8 ou V10) e a vacina antirrábica.

Vacina para cachorro: filhotes

Os filhotes fazem três ciclos de vacinas múltiplas. O ciclo de vacina múltiplas começa a partir de 45 dias de vida – são ciclos de 21 dias entre elas. Se o seu novo cachorro ainda é filhote, verifique quantas doses ele já tomou. Se ainda não tomou nenhuma você precisa começar o ciclo então.

Ciclo de vacina para cachorro filhote

Todo cachorro pode tomar a primeira dose a partir de 45 dias de vida. A segunda dose será feita 21 dias depois da primeira (ou seja, com 66 dias de vida), e a última dose depois de 21 dias da segunda – ou seja com 87 dias de vida. Ao completar 129 dias de vida, o filhote deve tomar a vacina contra raiva.

Pequena explicação para os ciclos

Eu sei que parece confuso e estranho, mas eu vou explicar de maneira rápida: o filhote recebe da mãe os seus anticorpos, através da amamentação. Com 45 dias começa o desmame dele. Então, ele vai aos poucos perdendo os anticorpos. Por isso, a primeira dose com 45 dias. Mas os anticorpos não saem automaticamente do corpo do filhote, é um processo gradual! Então as doses devem ser renovadas, para garantir que o próprio filhote realmente esteja criando sozinhos os anticorpos daquelas doenças. Então: primeira dose com 45 dias, segunda depois de 21 dias da primeira, e a terceira 21 dias depois da segunda dose.

O que é vacina múltipla?

A vacina múltipla é a V8 ou V10; não existe consenso sobre uma ser melhor do que a outra. A V8 protege contra:

– Cinomose – ver post sobre: http://vocemaisseguro.com/cinomose /

– Hepatite Infecciosa Canina

– Adenovirose
– Coronavirose
– Parainfluenza Canina
– Parvovirose Canina – ver nosso post sobre: http://vocemaisseguro.com/parvovirose-canina/
– Leptospirose canina

No caso, a V10 e V11 incluem variações da leptospira. Mas a verdade é que existem várias variações (mais de 250 tipos), e muitos dessas não tem evidencia aqui no Brasil. Então, vai variar a gosto do veterinário. A única regra é que uma das duas seja dada ao cachorro.

Vacinas para cachorros adultos

Se você resgatou um cachorro na rua e não sabe o histórico dele: se tomou as vacinas ou não, melhor fazer os três ciclos da vacina múltipla: três doses, com intervalo de 21 dias entre elas. E a vacina antirrábica. Igual ao filhote!

Renovação Anual: vacinas para cachorro

Os cachorros tem um sistema imunológico muito diferente do nosso, por isso é necessário renovar a vacina múltipla e a antirrábica anualmente! É recomendado que antes ele vá ao veterinário para fazer um check-up e ver como está a saúde dele, e faça um processo de vermifugação também.

DICA:

Todos os planos de saúde para pet da Porto Seguro cobrem as vacinas múltiplas e consultas veterinárias. Você garante, assim, a saúde do seu cachorro, sem se preocupar com os custos de veterinário particular (lembre-se que os custos de veterinários no Brasil são todos particulares, não existem hospitais públicos; existem campanhas contra raiva que algumas prefeituras promovem, mas apenas contra raiva, a vacina múltipla ainda é feita apenas em clínicas veterinárias particulares). Além disso, em todos os planos da Porto Seguro, você pode agendar também atendimento domiciliar (Pet Home), que alivia o estresse de ter de levar seu pet até a clínica veterinária!

Reações comuns ao tomar a vacina

É muito comum que os donos fiquem assustados na primeira vez que o cachorro vai ao veterinário tomar vacina, principalmente donos de primeira viagem.

Os cachorros são espertos, e, ainda mais filhotes, costumam ser dengosos, e vão fazer um drama, como se estivessem indo para forca. Mas não se abale: dar vacina é obrigatório! Você está prevenindo de doenças que são fatais! Mesmo se seu cachorro fique em casa, sem contato com nenhum outro, ele precisa tomar as vacinas anualmente! Vírus se espalham no ar, e podem chegar a eles até mesmo através de você!

É comum algumas alterações no comportamento do cachorro depois de vacinados:

  1. Ter febre
  2. Ficar com inchaço na região onde a vacina foi aplicada (endema)
  3. Cachorro fica um pouco desanimado, prostrado.

Se estes efeitos não passarem nas próximas 24horas, você pode entrar em contato com o veterinário.

E chegou o dia de levá-lo para vacinar – o que fazer:

Tente ficar calmo, se controle ao máximo, o cachorro sente quando o seu dono está agitado e nervoso, e vai “repetir” este comportamento. Converse com ele, e mostre que está sob controle, e está tudo “normal”. Um dica boa seria não levar crianças junto, sua atenção deve estar toda voltada para o cachorro. Se o animal tem histórico de ser mais bravo, melhor levar focinheira; mas o veterinário deve ter, apenas avise sobre uma possível reação mais agressiva. Animais doentes com diarreia, secreção ocular ou nasal, sem apetite não devem ser vacinados. Espere ele melhorar, e converse com o veterinário.

 

 

 

Fonte:

http://tudosobrecachorros.com.br/vacinas/

http://canaldopet.ig.com.br/cuidados/saude/2016-07-21/vacinas-cachorro.html

 

Meu cachorro comeu veneno: o que fazer?

Mesmo não tendo o costume de caminhar na rua com seu melhor amigo, mesmo assim, digamos que você abriu a porta sem prestar atenção e ele saiu correndo para rua, saímos correndo atrás, mas: tarde demais! Ele foi logo no veneno, ou num animal morto por algum veneno! E ai?! Seu cachorro comeu veneno, o que você deve fazer?

Quem tem o costume de caminhar diariamente com seu cachorro sabe quais locais evitar, onde pessoas mal intencionadas podem acabar colocando veneno sem avisar. E então ficamos sempre controlando onde nossos cães cheiram. Mas não estamos imunes à imprevistos, principalmente em vias públicas: eu mesma quando vi meu cachorro estava cheirando um rato morto num local que sempre caminhamos e nunca tinha visto rato! E ficamos nervosos: o que fazer?

Se seu cachorro acabou cheirando um local que pode ter substancias tóxicas ou um animal morto e acabou lambendo ou ingerindo algo que possa estar contaminado, mas você não tem certeza; ou se ele foi muito rápido e ingeriu algo e você não sabe o que, fique alerta nos próximos minutos! Fique ao lado dele, e veja como será a reação dele!

 

Alguns sintomas possíveis de intoxicação para ficar de olho!

  1. Insuficiência respiratória, tosse – dificuldade de respirar;
  2. Vômitos, fezes e urinas com sangue;
  3. Sangramentos em geral, nasal, em machucados, nas gengivas;
  4. Hemorragias em geral;
  5. Cachorro pode apresentar dificuldade de caminhar, ou tremores, fraquezas e dificuldades em ficar em pé;
  6. Quadros convulsivos;
  7. Salivação em excesso, misturada ou não com vômitos;
  8. Apatia: o cachorro não responde aos chamados, parece estar cansado, e não respondendo a brincadeiras e carinhos dos donos, parecendo estar triste.

Seu cachorro comeu veneno: não faça receitas caseiras!

Existem várias dicas na internet que falam sobre receitas caseiras que funcionam no caso de envenenamento, ou então, bate aquela tentação de perguntar no grupo do Facebook como proceder: não seja essa pessoa! Cada tipo de veneno, exige uma forma de agir diferente. O tratamento é feito com base nos sinais clínicos que serão analisados pelo veterinário!

DICA – seu cachorro comeu veneno: o que fazer

Está na dúvida se realmente houve a ingestão, não procure na internet, não pergunte nos grupos do facebook! Se você tem o plano de saúde pet da Porto Seguro, você tem direito ao PetPhone – em todos os planos você tem direito! Ligue para eles, são veterinários 24horas disponíveis, e eles vão orientar o que você deve fazer de forma segura. Ou ligue para o veterinário de sua confiança!

Seu cachorro comeu veneno: o que não fazer

E tem gente acha que é só fazer o cachorro vomitar o que ele comeu e pronto. Também não seja essa pessoa! Em alguns casos, isso pode até piorar o quadro. Não tá acreditando?! Por exemplo, se o envenenamento foi por substâncias cáusticas (como soda cáustica), pesticidas, inseticidas, detergentes de máquina de lavar roupas, querosene ou gasolina, não podemos provocar o vômito! Essas substancias causam queimaduras químicas na garganta e boca do animal, portanto, o quadro pode piorar caso o vomito seja forçado com água morna com sal ou água oxigenada! Então, não faça nada, a não ser que seja a recomendação de um médico veterinário que esteja ciente de todas as particularidades do caso!

 

E não use leite! Ele pode servir para alguns tipos de veneno (que tem pH neutro) mas se o veneno for de caráter ácido, o leite pode potencializar a ação da substancia tóxica, e ela será absorvida mais rapidamente. Como você não é um médico especializado capaz de saber qual o tipo do veneno ingerido, não dê leite. Leve ao veterinário!

 

 

 

Mas então o que podemos fazer quando sabemos que ele comeu veneno?

LEVAR AO VETERINÁRIO! Envenenamentos podem levar a morte do cachorro! Não bobeia e leve imediatamente ao veterinário! Apenas ele saberá com base nas informações e no quadro clinico do cachorro qual o tipo de envenenamento e qual será o procedimento ideal!

Mas e se por alguma razão você não consegue ir ao veterinário agora?!

Como eu já disse o ideal seria entrar em contato com um veterinário por telefone, e ele vai poder orientar melhor. Caso o seu melhor amigo tenha qualquer um dos planos de saúde pet da Porto Seguro, sempre recomendo que na menor dúvida use o serviço de PetPhone, ele é perfeito para essas ocasiões.

Mas se você não tem o plano de saúde da Porto e não pode ir ao veterinário agora?!

Bem, para retardar a ação da substancia tóxica no animal, podemos fazer o uso do conhecido e famoso carvão ativado em cápsulas – que podemos encontrar em farmácias. De maneira bem simples: ele age como uma substancia absorvente, ligando-se ao veneno no estômago do cachorro, e impedindo a absorção e ação do veneno na corrente sanguínea. Mas: podemos dar o carvão até 30 minutos após o envenenamento! Lembre-se se a substancia já tiver sendo absorvida para corrente sanguínea, a ação do carvão não terá o efeito desejado!

Outra forma de retardar o efeito do veneno e dar uma colher de mel; o mel vai funcionar como um protetor gástrico. Mas atenção, tanto o mel quanto a cápsula de carvão devem ser ministrados com animal totalmente consciente, para que não haja nenhum problema risco de afogamento ou falsa via.

Ambos os procedimentos – carvão ativado em cápsula ou mel – servem apenas como forma de “comprar tempo” você deve assim que possível leva-lo a emergência veterinária para poder realizar a desintoxicação correta!

Atenção: ter um cachorro exige responsabilidades e cuidados! Estamos sempre sujeitos a imprevistos, e acidentes! Ainda mais com cachorros que são eternas crianças! Por isso, que recomendo um plano de saúde para Pet da Porto Seguro: você garante que seu melhor amigo tenha uma vida saudável, com serviços inclusos de PetNutri, PetPhone, PetHome, além de um prontuário digital (DigiPet) com todas as informações do seu cachorro; Você sempre saberá a melhor forma de proceder em emergências, e você evita ter sustos com gastos veterinários emergenciais que podem comprometer nosso orçamento! Vale muito a pena! Peça uma cotação conosco!

ATENÇÃO: ESSE POST NÃO SUBSTITUI UMA IDA AO VETERINÁRIO CASO VOCÊ ACHE/OU TENHA CERTEZA QUE SEU CACHORRO INGERIU VENENO!

 

 

 

 

 

 

Fontes: http://www.webanimal.com.br/cao/index2.asp?menu=intoxicacao_diagnostico.htm http://www.blogdocachorro.com.br/intoxicacao-por-veneno-de-rato/ https://www.greenme.com.br/morar/gato-e-cachorro/393-saiba-como-proceder-em-caso-de-envenenamento-de-caes-e-gatos http://lupusalimentos.com.br/lupus_mundopet/meu-cao-comeu-veneno-de-rato-o-que-eu-faco/